PNEEB - Doença da Vaca Louca

O IMA é a instituição responsável por executar as medidas sanitárias previstas no Programa Nacional de Prevenção e Vigilância da Encefalopatia Espongiforme Bovina – PNEEB cujo objetivo é prevenir a ocorrência da doença, também conhecida como doença da vaca louca

Todos os bovinos importados de países de risco para a Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB) que se encontram em Minas Gerais são cadastrados e monitorados pelo IMA pois, podem ter sido contaminados no país de origem. Os bovinos têm seu destino acompanhado, de modo que se um animal importado que estiver no município A for transferido para o município B, o proprietário deve obrigatoriamente comunicar ao IMA a mudança para que os técnicos continuem o monitoramento no município B. A mesma obrigatoriedade de comunicação ao IMA ocorre no caso de morte do bovino importado.

Os bovinos e bubalinos importados, ao final da fase produtiva (final da produção de embriões, sêmen) são, obrigatoriamente, sacrificados pelo IMA e as carcaças incineradas e enterradas na propriedade. O proprietário do animal é responsável por solicitar o sacrifício, que poderá gerar indenização. Ao realizar o sacrifício, é coletado material para exames.

Legislação - clique aqui para consultar